Tudo o que você precisa saber sobre Ibitipoca – MG

Não aguentava mais ver fotos da Janela do Céu no Instagram e ficar chupando dedo. Precisava conhecer as trilhas e cachoeiras da famigerada Ibitipoca e não perdi a oportunidade quando ela apareceu.

Fui no carnaval, ou seja, 4 dias para aproveitar Conceição do Ibitipoca do jeito que eu queria. Mas, aí todos pensam “perdeu os bloquinhos de São Paulo” ou “fugiu da folia e agitação”. Pensamentos ERRADOS!

Além de ter feito trilhas, visitado grutas, e curtido todas as cachoeiras, ainda dancei e pulei muito carnaval em Ibitipoca! Como? Vou contar mais para você sobre esse carnaval bem diferenciado XD

Ainda darei dicas de hospedagem, como ir, sobre o parque, preços e muito mais!

 

1 – Como chegar em Ibitipoca?

 

 

Conceição do Ibitipoca fica na zona rural da cidade de Lima Duarte em Minas Gerais. Sim, o lugar é bem roots, se prepare.

Você pode ir de ônibus ou de carro mas o melhor jeito é de carro mesmo. Aí é só ligar o Waze e boa viagem!

Aqui vou explicar como ir de ônibus:

  • Vá até Juiz de Fora. Caso você seja de São Paulo, na rodoviária do Tietê sai ônibus da viação Cometa
    • Preço: entre R$100 e R$150, dependendo da classe do ônibus
    • Horários: todos os dias no período da manhã. Prestem muita atenção na DURAÇÃO da viagem, pois o tempo comum é entre 7h e 8h para chegar até Juiz de Fora, porém tem ônibus que está marcado com até 1 dia inteiro de viagem!
  • Em Juiz de Fora, pegue o ônibus da viação Bassamar ruma a Lima Duarte
    • Preço: até R$30
    • Horários:  6h00 / 7h30 / 10h30 / 11h30 / 12h30 / 14h00* / 15h30* / 16h15 / 17h30 / 19h00 / 23h00**
      *Somente de segunda a sexta
      ** Somente no domingo
  • Em Lima Duarte, pegue o ônibus até Conceição do Ibitipoca
    • Preço: entre R$15 e R$20
    • Horários: de segunda a sexta 6h30 e as 15h15. Sábados, domingos e feriados as 7h30 e as 15:15

Dica: Uma outra opção é procurar por trips que façam a viagem para Ibitipoca com tudo incluso. Sai bem mais barato e ainda dá para conhecer pessoas bem legais.


2 – Onde se hospedar

Casa com quartos do camping Tô em Casa em Ibitipoca. Há também três redes de descanso na frente

 

Há várias pousadas e campings no vilarejo de Conceição do Ibitipoca e outras um pouco mais afastadas. Procure opções que fiquei entre o Parques Estadual do Ibitipoca e o vilarejo.
 

Por que não ficar no vilarejo?

 
Pois, dependendo da época que você for, o vilarejo ficará cheio de pessoas festejando e os bares estarão aberto. Aí ficará difícil de descansar, a não ser que você não se importe com esse detalhe.

Outra razão para se hospedar mais perto do parque é a caminhada até lá. Do vilarejo até o parque são cerca de 4km de distância, sendo que tem uma subida íngreme no caminho.

Uma alternativa é pagar uma van até o parque que custa entre R$5 e R$10.
 

Onde eu fiquei?

 
Nossas barracas já montadas no camping Tô em Casa em Ibtipoca

Eu acampei no Tô em Casa Camping que também tem quarto compartilhado e um para casal. Fica a 1km do vilarejo e a 3km do parque estadual. Para quem ainda acha longe, as vans passam por esse camping também.

Felizmente, o Tô em Casa tinha todas as refeições completas com um valor mais baixo do que nos restaurantes do vilarejo.
 

Preço das hospedagens

 

  • Campings costumam cobrar cerca de R$30 a diária
  • Os hostels/ quarto compartilhado cerca de R$80 a diária
  • Quarto para casal custa a partir de R$200 a diária

 

3 – Sobre a Vilinha de Ibitipoca

 
A vilinha de Ibitipoca e suas lojinhas

 

É na vilinha que você encontrará tudo o que precisa, ou quase tudo. Isso porque não há bancos, posto de gasolina, posto de saúde (não vi), e várias modernidades, como sinal de celular.

Sim, você ficará sem celular pois wi-fi é difícil funcionar bem nos lugares. Tim e Oi? ESQUECE! Não funcionam. Claro e Vivo? Ok, essas até que funcionam bem, exceto no parque estadual.

Detalhe: como o sinal de celular é instável, as maquininhas para passar cartão são meio lentas e as vezes não funcionam. O ideal é levar dinheiro!

Passando do que falta para o que tem: restaurantes e bares!

Ô comida boa! Tinha que ser mineira mesmo… Para comer tem muitas opções, sendo que há lugares com o “coma a vontade e pague pouco” custando até R$20. Muito barato, não é?

Já os preços das bebidas para adultos (as alcoólicas), não posso dizer o mesmo. Porém a cerveja artesanal deles é ótima!

Há também uma galeria que reúne vários bares, restaurante e lojinhas. É nessa galeria que tem a gruta, lugar que toca muito rock!

 

Dica: Procure pelo bar do Firma. Eu não cheguei a ir mas parece que o bar é bem diferente, onde as bebidas saem do teto. Temática meio taverna meio bruxa hahaha

 

 

4 – Finalmente, O Parque Estadual do Ibitipoca

 
Eu em frente a uma queda d'água perto do Lago dos Espelhos

 

O Parque tem 1488 hectares, ou seja, o tamanho corresponde a quase 1500 campos de futebol! E lembre-se que você vai fazer trilha nele 🙂

Falando sobre as trilhas, no parque há 3 principais circuítos, são eles: Circuito Janela do Céu, Pico do Pião e Circuito das Águas. O ideal é separar 3 dias para aproveitar o parque, sendo cada circuito em um dia.

 

Circuito Janela do Céu

 
Começando pela mais famosinha do instagram, a Janela do Céu impressiona por ter “borda infinita”. O que não falta é foto com pose criativa por aí, isso porque muuuuita gente vai lá para garantir sua fotinho. Inclusive eu!

Mas antes, para chegar na Janela do Céu é preciso subir a trilha de 8km. Mas não se desanime, durante o caminho você irá passar por grutas e por outras paisagens incríveis! Vai compensar cada passo.
 

FICHA TÉCNICA

 

  • Dificuldade: nível moderado (depende muito do condicionamento de cada um, sendo a dificuldade um juízo de valor)
  • Percurso total: 16km (ida e volta)
  • Tempo médio: 8 horas, contando com paradas

 

* Cruzeiro e Lombada

 
Uma cruz bem grande que é o Cruzeiro do Parque do Ibitipoca e eu do lado
 
A primeira parada da trilha é o Cruzeiro, essa cruz enorme aí na foto de baixo. Para chegar até o Cruzeiro são uns 2km e é a parte mais cansativa. Depois do Cruzeiro a subida é bem mais fácil.

2km após o Cruzeiro nos deparamos com a metade do caminho marcado pela Lombada. Nada demais acontece por aqui, exceto pela neblina que vem e vai “do nada”. É um lugar onde muitos param para comer e repor a energia para a outra metade do caminho.
 

* Grutas

 
Os próximos 4 km são recheados por 3 grutas:

  • Gruta dos Moreiras

Ela tem caminhos que se estendem bastante. Não pude confirmar até onde ia, pois minha lanterna não dava conta de iluminar tudo. Essa é a gruta para se explorar!

  • Gruta dos Fugitivos

Tem esse nome pois nela foram encontradas ruínas de um antigo quilombo de escravos. A entrada da gruta é caminho para a Gruta dos Três Arcos, para isso é bom ter uma lanterna em mão pois é bem escuro. Há também uma passagem que não fui além, pois era meio apertado para passar…

  • Gruta dos Três Arcos

Das 3 a mais bonita na minha opinião. É super alta e possui 3 grandes entradas em formato de arco, daí o nome. Para ficar nela não precisa de lanterna.

  • Gruta dos Moreiras

 

* Depois das grutas, finalmente a Janela do
Céu
!

 
Eu deitada de costas e de pernas para cima próximo da borda da Janela do Céu

 

Como eu fui no Carnaval, o parque estava com a capacidade máxima de 1200 pessoas. Claro que a maioria estava fazendo o mesmo percurso rumo a Janela. Não deu outra: fila.

Foram 2 horas de espera até conseguir tirar a minha foto. Porém, como tinha amigos de camping junto, nos revezamos. Enquanto um ficava na fila o outro curtia o laguinho da Janela.

A água é extremamente gelada, de arder a pele. Por causa das árvores não bate muito sol, que faz sentir mais frio ainda. Porém, não impediu ninguém de entrar 😀

Após isso, é melhor voltar por outro caminho, ao invés de descer pelo mesmo sentido que se veio. Vai dar a mesma distância e ainda dá para conhece outros lugares lindos, como a Cachoeirinha.
 

* Cachoeirinha

 
A Cachoeirinha do Parque do Ibitipoca. Caindo muita água mas de uma altura de mais de 7 metros

 

A Cachoeirinha fica a poucos metros da Janela do Céu e é pouco visitada. Com uma cachoeira que cai mais como uma “chuva”, ela encanta e tem água menos fria.

Na descida, ainda pode-se conhecer a Gruta Monjolinho, Lago dos Espelhos, Lago Negro e a Prainha. Mas vou falar mais sobre esses pontos no próximo circuito do qual fazem parte.

 

Circuito Pico do Pião

 
O ponto mais alto do parque é o Pico do Pião, a uma altitude de 1.720 metros! A vista lá de cima é maravilhosa, dá para ver muitos morros e uma grande parte do parque de Ibitipoca.

A subida até o morro é bastante íngreme com tipos variados de terreno. Mas tem alguns pontos durante a caminhada que dará aquela retomada de folego. São elas:  Gruta do Monjolinho, Gruta do Pião, Gruta dos Viajantes e as Ruínas da Capela.

Eu recomendo passar na Gruta do Monjolinho na volta do Pico do Pião. Pois lá tem um lago que é ótimo para nadar e descansar… Então seria melhor subir ao pico cedo para a tarde curtir todas as cachoeiras e lagos sem pressa.
 

FICHA TÉCNICA

 

  • Dificuldade: nível moderado (depende muito do condicionamento de cada um, sendo a dificuldade um juízo de valor)
  • Percurso total: 11km (ida e volta)
  • Tempo médio: 5 horas, contando com paradas

 

* Gruta do Pião

 

 

Essa é a primeira parada, mas não pense que é rápido para chegar. São praticamente 4km até chegar na Gruta do Pião.

Nessa gruta eu não entrei até o fundo pois, era muuuito escura e minha humilde lanterna não ajudaria. Fora que parecia ser funda então, precisaria de equipamento melhores.

 

* Gruta dos Viajantes

 

 

Quase na chegada do Pico, após uma caminhada de 5km (a partir da portaria do parque), se encontra a mais linda gruta do Ibitipoca! Na minha opinião, é claro.

Ela é escura em uma certa parte, mas ligue a lanterna do seu celular e ande um pouco mais. Logo você verá o outro lado e ele é incrível! Acho que minhas fotos nem conseguirá explicar, só vendo mesmo.

Para voltar a trilha rumo ao pico, não precisa voltar a entrada da gruta. Pode subir as pedras, que lá também tem uma saída.

 

* Pico do Pião 

 

Vista a partir do Pico do Pião

Para subir ao pico, tem essa “pequena” escadaria, a qual eu subi correndo pois achei mais prático. A vista lá em cima, é linda de verdade! São muitos morros verdejantes que parece não ter fim.
 

* Ruínas da Capela

 

Aonde estou sentada é o altar das ruínas da capela

As ruínas ficam no próprio Pico do Pião e muita gente sobe nelas para tirar uma fotinho.

As ruínas são da antiga Capela Senhor Bom Jesus da Serra que foram destruída por tempestades, raios, ventos… Bom, o que restou foi apenas o altar e o piso.
 

* Gruta do Monjolinho

 
Ao descer a gruta poderá achar que é só uma grande rocha e dá uma confusão. Mas seguindo um pouco mais, tem uma escada meio escondida. É descendo ela que está a gruta de verdade, junta a ela, um lago e o som de cachoeira.

Esse lago tem uma pedra com um grande buraco por cima e outro de baixo da água. É possível atravessar e ver a queda d’água. Porém tem que saber nadar!

Essa gruta costuma ser bem calma e geralmente está vazia, fica praticamente particular.
 

* EXTRA: Lago dos Espelhos, Ducha, Lago Negro e a Prainha

 
No roteiro oficial do Pico do Pião não há essas paradas mas, elas ficam no caminho e recomendo.

Esses pontos fazem parte do Circuito das Águas, que falarei a seguir…

 

Circuito das Águas

 

FICHA TÉCNICA

 

  • Dificuldade: nível fácil a moderado (depende muito do condicionamento de cada um, sendo a dificuldade um juízo de valor)
  • Percurso total: 5km (ida e volta)
  • Tempo médio: 3 horas, contando com paradas ( mas dá para ficar várias horas em cada lago 🙂 )

 

* Lago dos Espelhos

 

 

O Lago dos Espelhos parece uma prainha, tem até areia. Porém há uma cachoeira também!

Tem que tomar cuidado nesse lago, pois tem uma parte mais ao fundo que chega a 7 metros de profundidade. Mas não se preocupe, toda a parte da frente é acessível para quem não sabe nadar.
 

* Ducha e Lago Negro

 

Essa é uma parte do Lago Negro

Saindo do Lago dos Espelhos, andando só mais um pouco, há a Ducha e 100 metros depois, o Lago Negro. A Ducha é uma queda de água onde dá para sentar e relaxar com a água caindo no corpo. Enquanto que o Lago Negro parece profundo mas não é, é só escuro mesmo.
 

* Prainha

 

 

Após tem a Prainha, que com certeza foi a primeira coisa que viu ao começar a trilha. Muitos param por lá e terminam o dia nas suas areias, pois ficam muito perto da portaria, do restaurante e do camping.

 

* Lago das Miragens

 

 

Esse lago, um dos mais bonitos na minha opinião, tem uma grande “parede” de pedras. Acima dessa parede é o Caminho dos Mirantes.

 

* Ponte de Pedras

 

O nome me confundiu um pouco, pois imaginava que seria uma ponte real. Na verdade, é um lago cheio de pedras o que me impressionou mais.

 

* Cachoeira dos Macacos

 

 

Caminhando mais, cerca de 1km chega ao destino final do Circuito: a Cachoeira dos Macacos!

O lago é grande e uma parte dele é profundo, mais especificamente, próximo da cachoeira.
 

* Outros: Rio Salto e Caminho dos Mirantes

 
O Rio Salto, Rio Vermelho e o Caminho dos Mirantes, acabei não conhecendo, infelizmente. Acho que passou despercebido ou eu não vi as placas no caminho.

 

Informações sobre o Parque

 
Local: Lima Duarte, Minas Gerais.

Área total da reserva: 1488 hectares.

Horário de funcionamento: 07h às 18h (mas fica aberto mais tempo para a saída de todos).

Valores dos Ingressos: de terça a sexta custa R$15 e fins de semana e feriados custa R$25. Tem meia entrada.

Horário de funcionamento: dias úteis e fins de semana das 07 às 18h.

Telefone: (32) 3281-1101

E-mail: peibitipoca@meioambiente.mg.gov.br

Site Oficial: www.ief.mg.gov.br

 

5 – Meu carnaval em Ibitipoca

 

 

Finalmente carnaval? Eu achava que não teria festa mas Ibitipoca surpreendeu. Na vilinha tem alguns bares e uma galeria que eles insistem em chamar de Shopping.

Nesse shopping rolou banda e até ensaio de um bloco de Ibitipoca. Tocou de forró até marchinhas! Festa ótima para adultos e até crianças que jogavam espuma sem dó.

Muita gente fantasiada sim, dançando e curtindo sem brigas ou confusões.

O bloco ficou na rua até 0h00 e depois o pessoal foi para o bar Brauhaus, que tem sua cerveja artesanal de mesmo nome. Lá estava tocando uma banda de raggae ao vivo que foi substituída pelos cantores do bloquinho depois.

Aproveitando, raggae e rock são os estilos musicais de Ibitipoca 😉

 


Gostou do post? Está completinho mas se tiver alguma dúvida, pode perguntar que não vou poupar respostas.

Beijos e até a próxima!

 

2 comentários em “Tudo o que você precisa saber sobre Ibitipoca – MGAdd yours →

Deixe um comentário!