Stranger House da Netflix: a casa temática de Stranger Things em SP!

Na última sexta-feira, 27/10, a Netflix lançou a segunda temporada de Stranger Things. Mesmo já tendo milhões de fãs, a divulgação foi em peso. Além das playlists de Stranger Things no Spotify, que verifica pelas preferências musicais do usuário qual é o personagem que mais combina, a Netflix abriu a Stranger House em São Paulo.

Localizada na Rua Oscar Freire, a Stranger House tinha 3 andares tematizados e capacidade para 100 pessoas a cada uma hora. Houve essa limitação para permitir um fluxo melhor entre os cômodos, já que formava-se filas em cada um desses ambientes.

Afinal, quem não gostaria de tirar uma foto com o Demogorgon? Todos queriam, claro. Por isso, as pessoas tinham que ir para uma sala, viver a experiência, tirar sua foto e prosseguir para a próxima.

Passados 45 minutos, o aviso sonoro era acionado para todos saírem da casa. Assim, as próximas 100 pessoas poderiam entrar (15 minutos depois do aviso por causa da organização do evento, que por sinal, foi muito boa).

Infelizmente, a casa ficou aberta ao público apenas um final de semana.

 

Os ambientes da Stranger House

Ao todo foram 7 ambientes, sendo 2 salas com uma experiência mais “real”, por assim dizer.

No térreo havia três ambientes: a rua com as 4 bicicletas mais famosas; o Castle Byers; e o laboratório Hawkins;

Já o primeiro andar, era dedicado a um altar para a Barb e a sala da casa do Will. O último andar era o Upsidedown, o Mundo Invertido! Ainda tinha uma sala com fliperamas, mas não lembro qual o andar pois, essa sala foi a menos interessante.

 

 

Ambiente interativo: A sala da casa do Will, Jonathan e Joyce

Praticamente todos os ambientes formavam filas para as fotos, mas um criou uma fila beeem grande: a sala da casa do Will (aquela que tem o alfabeto na parede e o pisca-pisca posicionado em cada letra).

Lá dentro entravam, mais ou menos, 15 pessoas por vez. A porta e a janela eram fechadas e assim começava a interação: o telefone toca e segundos depois as luzes piscam, até se apagarem totalmente. Então somente os piscas em cima das letras R, U e N acendiam, uma por vez, formando a palavra RUN que em português significa “Corra”. Tudo voltava a piscar freneticamente com um barulho muito alto simulando o Demo

gorgon. Pronto, a experiência acabava assim. Hora das fotos!

Ah se gosta de eventos em São Paulo, tem outros que rolam anualmente, por exemplo, o FILE e o Festival das Estrelas!

 

Ambiente interativo: O Laboratório Hawkings

Como menos pessoas dentro da sala, cerca de cinco mais ou menos, a sala do laboratório era fechada e o cientista dava as explicações.

Era necessário já deixar as câmeras a postos, pois não teria repetição. O cientista escolhia uma pessoa do grupo para a brincadeira. O sortudo sentava na cadeira ao lado do cientista, que logo em seguida colocava um “capacete” na cabeça do voluntário. Era a mesma coisa que acontecia com a Eleven na 1ª temporada. Assim, a pessoa tinha que fazer força com a mente para amassar a latinha de Coca-Cola. Funcionava! Claro, a latinha tinha um dispositivo que a fazia amassar sozinha hahaha.

Logo depois, cada um podia sentar na cadeira e tirar a sua foto.

 

O que achou da ideia da Netflix? Queremos mais sim ou claro?

Se você foi no evento também, não deixe de deixar sua opinião nos comentários. Quero saber também!

 

Desenvolvedora de aplicativos, leitora de romance histórico e fantasias, apaixonada por animais (inclusive tem uma linda coelha chamada Snow e é voluntária de abrigos para cães e gatos), procura tempo para fugir da rotina, viajar para escrever mais e incentivar outros a fazerem o mesmo.

Deixe uma resposta

5 comentários para “Stranger House da Netflix: a casa temática de Stranger Things em SP!”

    1. Foi na sexta? Pois foi o dia que mais demorou. Fiquei duas horas para entrar mas valeu cada minuto de espera <3